Novo objetivo para 2016: Deixar de Fumar

fotografia (2)

O Dr António Soares Neto, Naturopata nas Clínicas EM FORMA, falou para a TVI sobre a importância de deixar de fumar neste novo ano e como poderá fazer isso. Deixamos-lhe aqui alguns excertos da entrevista, para que o possam motivar, também a si!

“Muita gente não quer deixar de fumar com medo de engordar. O problema aqui está no equilíbrio do organismo. E temos de fazer as coisas com “pés e cabeça”. Ora, ninguém vai fazer uma maratona sem antes se preparar previamente e, portanto, também ninguém deveria querer deixar de fumar de um dia para o outro, sem fazer uma preparação prévia. E a grande preparação ou a grande ajuda a considerar é a ajuda psicológica. O psicólogo é fundamental como coaching e como ajuda nesta caminhada, que tem de ser feita com determinação e perseverança. Vai ter altos e baixos, como todas as caminhadas.

É fundamental haver um equilíbrio corpo-mente. Desprezamos um pouco a mente, mas esta é o motor central. Se todas as nossas energias não estiverem alinhadas, os objetivos serão muito difíceis de alcançar. Primeiro que tudo tem de pensar: Porque é que eu quero deixar de fumar? Os motivos variam de pessoa para pessoa e isso irá dar-lhe uma grande motivação neste processo.

Nas nossas Clínicas, atuamos em 4 vertentes, para ajudar a deixar de fumar. Primeiro temos o psicólogo que irá fazer o equilíbrio corpo-mente. A Acupunctura, para regular o organismo, onde os resultados são substantivos. Outra vertente é a desintoxicação do organismo, que é fundamental. Porque se nós não desintoxicarmos o organismo, as toxinas continuam em circulação muito mais tempo. Se desintoxicar o organismo, a pessoa sentir-se-á logo muito melhor, o que poderá ser uma motivação para deixar de fumar. A última vertente onde atuamos é a Nutrição, porque quando deixamos de fumar, muitas vezes, vamos fazer compensações na alimentação. E esse é um dos grandes problemas do excesso de peso que se ganha após deixar de fumar.

A compensação é fundamental; todos precisamos de as fazer, o que importa é como as fazemos. O problema não está nas asneiras, mas sim nas asneirinhas. A asneira é quando percebemos que erramos e tomámos consciência de; a asneirinha é aquela coisinha que fazemos de forma repetida ao longo do dia ou da semana, que não tomamos consciência e não valorizamos e que se vai acumulando.”

Também poderá gostar de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *