Melancia

2016-07-12 15.46.38

Hoje deixamos-lhe parte do artigo da nossa nutricionista, Drª Ana Filipa Baião, sobre a melancia; que saiu na Revista Viva Mais Saúde Viva Melhor, edição de Julho.

“A melancia é, talvez, a mais esperada das frutas de Verão! Pensar nela envolve-nos num sentimento muito intenso do verão: o sabor doce, a frescura, o aroma, a textura sumarenta… Caraterísticas deste fruto e que nos remetem para memórias relativamente a esta estação do ano onde não falta o bom tempo, o calor, a praia e as férias!

A natureza é perfeita, não me canso de o dizer, e a melancia é uma boa prova disso! Comer melancia no verão faz bem, senão vejamos:

  • A composição em Água – Ação hidratante e diurética

A composição deste fruto é maioritariamente água. Trata-se da fruta com maior percentagem de água. Para o tempo quente, para as tardes na praia ou no campo, a melancia pode ser uma forma de se hidratar, melhorando aspetos fisiológicos com a diminuição da retenção de líquidos.

  • Magnésio e Potássio

A sua composição em magnésio e potássio permite compensar as saídas de minerais, uma vez que a diurese é favorecida. Importa reforçar que comer melancia, de forma moderada, é claro, deixa-nos mais felizes, pelo seu sabor doce e também pela presença do mineral magnésio, que está descrito como um mineral importante para a redução do cansaço físico e emocional, mas também pela melhoria da função muscular e cognitiva. Por esta razão, os passeios na praia e as caminhadas ao fim do dia, são beneficiados pela presença deste mineral, assim como as queixas de cãibras que, após este exercício, são reduzidas. A presença de potássio na melancia vem garantir que a função diurética deste fruto é realizada. Isto porque este mineral, ao nível renal, permite reduzir a formação de cristais, especialmente os de ácido úrico e melhora a desintoxicação do organismo pela saída de toxinas na urina. Estes minerais (potássio e magnésio), são ainda importantes para o controlo da tensão arterial. A sua presença neste fruto permite controlar o valor da tensão, uma vez que esta pode descompensar pelo calor, elevadas temperaturas e pela diurese acelerada.

Tudo neste fruto está combinado de forma a garantir o maior equilíbrio orgânico, ou seja, comemos melancia, refrescamo-nos, aumentamos a diurese e a saída de toxinas, se nos sentirmos bem, a frequência do exercício poderá aumentar (o que nesta estação do ano é bastante frequente) sendo que, mais exercício e mais melancia, a retenção de líquidos é reduzida com facilidade, a reposição de elecrolitos é garantida, verificando-se um estado geral mais satisfatório, menos barriga, menos edema nos membros inferiores, menos cansaço físico e emocional, e ainda menos tonturas. Desta forma, depressa nos apercebemos que o quadro geral melhora.

  • Valor calórico, açúcares, gorduras e proteína

A melancia é um fruto de baixo valor calórico, já que 100 gramas fornecem apenas cerca de 24 calorias. Além disso, é pobre em gorduras e açúcares sendo, por esta razão, comum verificarmos a sua presença em planos de emagrecimento. Contudo, e este aspeto pode fazer a diferença, a hora da sua ingesta, bem como a quantidade ingerida, podem classificar este alimento como potenciador de perda de peso ou promotor de ganho de gordura corporal. Isto porque o seu baixo valor calórico representa apenas a presença de açúcares – estes açúcares estão isolados, por este fruto ser pobre em proteína e fibra, o que faz dele (atendendo à hora do seu consumo e quantidade ingerida) um alimento potenciador do desequilíbrio da curva de glicemia – insulinemia, pois o seu valor glicémico é acima de 50 (índice glicémico de melancia – 75).

O valor glicémico consiste na velocidade de absorção dos açúcares presentes num alimento, sendo 100 o valor máximo e mais rápido (valor que se verifica para a sacarose – açúcar refinado). A melancia apresenta um valor de índice glicémico acima de 50 pelo que, o seu consumo desregrado e exagerado pode potenciar picos de açúcar, seguidos de insulina (hormona de crescimento do tecido gordo), promovendo produção de gordura visceral e sensação de fome insaciável para o resto do dia. De forma a poder desfrutar deste alimento sem prejudicar o seu peso e controlo da fome, prefira incluí-lo em pequenas quantidades e combinado com uma refeição rica em fibra, de preferência nos momentos de início do dia ou antes de um momento de combustão de energia, por exemplo caminhada.

Assim sendo, a melancia não é apenas água, como ouvimos tão frequentemente nesta altura do ano! Existem perigos, e se pretende perder gordura corporal, especialmente visceral, a melancia pode contrariar a concretização deste objetivo, caso seja ingerida em excesso e fora de horas!

  • Vitamina A e Carotenos

Sendo o verão a estação de eleição para a exposição solar, este fruto surge nesta altura do ano, rico em vitaminas e antioxidantes protetores da pele – a natureza é ou não perfeita?!

A melancia é rica em licopeno, fator fitoquímico que confere a cor vermelha a este alimento, bem como no caso do tomate. Esta caraterística torna a melancia num alimento de elevado interesse pela ação antioxidante no combate ao desenvolvimento de cancro, especificamente nos órgãos: pulmão, esófago, estômago, cólon, mama a próstata.O caroteno é um dos fitoquímicos mais estudados e os alimentos que apresentam este elemento químico, não nutritivo, são designados de superalimentos. A taxa de incidência de cancros nas populações cuja alimentação é rica em licopeno e outros carotenos é reduzida. O licopeno está ainda descrito como um agente de defesa da saúde cardiovascular, reduzindo o risco de doença cardíaca e acidentes vasculares cerebrais. Isto porque este agente melhora o perfil de gordura sanguínea, reduzindo o mau colesterol – LDL – e a acumulação de colesterol nos vasos sanguíneos, nomeadamente na maior artéria, a artéria aorta.

A Vitamina A é um antioxidante essencial no combate aos radicais livres, ao nível da saúde na pele, saúde ocular e saúde cardiovascular. Logo, comer melancia ajuda a proteger a pele dos raios solares mais agressivos, a manter uma boa saúde ocular e ainda a manter os vasos sanguíneos jovens, contribuindo para um sistema cardiovascular e coração jovens.

  • Vitamina B6

A melancia é um fruto fresco, com elevado interesse ao nível da presença de vitamina B6, sendo das poucas frutas frescas que contêm esta vitamina. Esta vitamina ajuda na produção de agentes de defesa do organismo (glóbulos brancos /anticorpos), permitindo que o sistema imunitário esteja forte para esta altura do ano, com mais saídas, exposição ao sol, petiscos e pouco descanso noturno.

A vitamina B6 ajuda a manter normalizada as funções neurológicas, o que contribui para o bem estar do indivíduo. Esta vitamina ajuda ainda na metabolização da proteína. Para quem ingere muita proteína (determinados quadros alimentares e desportistas) a melancia permite uma metabolização e eliminação de resíduos da digestão proteíca mais rápida. “

Ana Filipa Baião

Nutricionista na Clínica Em Forma. Com trabalho clínico desenvolvido e publicado na área do emagrecimento, doença oncológica, doença celíaca e imunidade.

Também poderá gostar de…

2 respostas

  1. Maria reis diz:

    Muito util este artigo,parabens!
    Adoro melancia e realmente vale a pena come la

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *