E depois da Páscoa?

Mais uma Páscoa que passou… Foi um dia agradável, entre amigos e/ou família e em que se esqueceu das dietas, dos equilíbrios alimentares e de tudo aquilo que esteja associado a alimentação saudável… Comeu o que quis, aproveitou todas as guloseimas e saboreou todos os pratos deliciosos que a avó ainda faz… Estava tudo tão bom e realmente conseguiu aproveitar cada bocadinho!

Mas agora voltamos à realidade e hoje começa de novo a rotina. Trabalho, casa, escola, miúdos, marido, lides domésticas… e alimentação!

Sim… Não é porque ontem cometeu a asneira da semana que vai deitar tudo a perder. Agora necessita de trabalhar algumas coisas, principalmente a aceitação.

Muitas vezes, nós construímos pensamentos disfucionais sobre a alimentação. Aliás, falamos disso frequentemente. E em relação à Páscoa esses pensamentos disfuncionais também foram construídos, certamente. Por exemplo:

  • Recebi estes chocolates na Páscoa e agora vou ter que comê-los todos, como se fosse uma obrigação;
  • Estão todos a comer, eu também tenho de o fazer, se não parece mal;
  • Já que comi duas amêndoas, agora vou comer o pacote inteiro (…)

Estes são apenas alguns exemplos de pensamentos disfuncionais que podem ter ocorrido no dia de Páscoa. Mas, no dia pós Páscoa, eles ainda podem ter mais força, senão repare:

  • Ontem cometi tantos erros, que não vale a pena continuar com a dieta, já engordei tudo o que tinha perdido;
  • Sou uma falhada, nunca consigo resistir a nada, como sempre tudo o que há na mesa;
  • Já que ontem comi o que comi, hoje também não irá fazer assim tão mal comer este resto de bolo ou amêndoas;

E desiste. Desiste de tudo aquilo que já tinha conquistado, apenas porque pensamentos disfuncionais a invadiram por completo e porque ainda não mudou a sua atitude e a sua mente em relação à alimentação.

E como pode fazer isso? O que deve então fazer neste período pós Páscoa? Como deve pensar?

A questão não é ter ou não comido. A questão primordial é como se sente agora emocionalmente. Muitas pessoas deixam de acreditar, depois de perceberem que não tiveram auto controlo na Páscoa; tal como exemplifiquei anteriormente. Estes pensamentos negativos e disfuncionais conseguem ser muito convincentes e produzem efeitos psicológicos negativos, levando por vezes à desistência do estilo de vida saudável.

Tem de modificar a sua forma de pensar. Em vez de pensar que errou, pois comeu tudo o que quis e perdeu tudo o que tinha conquistado; pense que ganhou. Foque a sua mente na grande meta e nos grandes objetivos: conquistar o peso ideal; vestir o biquini; ir à praia; ter mais saúde; brincar com os seus filhos; ter mais energia e mobilidade, etc.

O ontem já passou. Todos cometemos erros e deslizes. Todos vacilamos em algum momento do estilo de vida. É normal. Mas a grande conquista é a forma como pensa: pense positivo; o pior já passou. Agora vai continuar o caminho, como fez até aqui, e vai sentir-se muito bem consigo própria.

A mente e este tipo de pensamentos positivos e adaptados à realidade são bem mais importantes que passar uma Páscoa sem comer um único chocolate ou amêndoa!

Fortaleça a sua mente em relação à comida! Seja saudável! Seja feliz!

Mafalda Leitão

Psicóloga na Clínica Em Forma. Com trabalho clínico e publicado na área da psicologia positiva, emagrecimento através da mente, depressão e ansiedade. Trabalho científico publicado na área da obesidade e perda de peso bem sucedida e menopausa.

Também poderá gostar de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *