A Dieta do Mau Humor

mulher-mau-humor-1345497168414_615x300

Quando começamos uma dieta pensamos logo, à partida, que as nossas emoções vão mudar: menos paciência para lidar com o marido, menos energia para brincar com os filhos… Daí que muita gente lhe chame a dieta do mau humor.

Em primeiro lugar, todos sabemos que quem faz dieta ou quem tenta fazer processos mais restritivos de alimentação, quer um resultado rápido. Ou seja, menos 10 kg num mês e já agora sem esforço nenhum, era perfeito. Devido a esta procura de perda de peso no menor tempo possível, as restrições são mal feitas.

Por mais dietas que saiam na Internet, por mais dietas que resultem com as nossas amigas, nós não somos nutricionistas e, portanto, não sabemos aquilo que é ou não uma boa opção para nós.

Por este motivo, pode andar de mau humor: porque anda a fazer más combinações entre os alimentos; porque não anda a comer os alimentos adequados para o seu organismo…

E, imediatamente, temos a nossa mente a considerar toda esta experiência como desagradável, como indesejável e privativa, associada ao sofrimento. Daí, quando começa numa nova dieta, os sentimentos e pensamentos são sempre os mesmos: frustração, desânimo, cansaço.

Primeiro passo: procurar um nutricionista.

Em segundo lugar, existe também outra questão que pode influenciar, e muito, o nosso humor: o nosso estado psicológico. Como já tenho vindo a referir, tão importante como procurar um nutricionista e seguir de forma empenhada a dieta, é procurar um psicólogo do emagrecimento e seguir os pensamentos adaptados à dieta, à risca.

E, comecemos por um exemplo básico: antes de começar uma dieta o que é que pensa? “Que chatice”; “eu não vou conseguir”; “é injusto todos comerem o que querem menos eu”; “depois tenho este aniversário, este jantar e não vou conseguir”.

Portanto, mesmo antes de começar a dieta já tem uma série de pensamentos associados à mesma.

Com este tipo de associações, tenderá, certamente, a pensar ainda mais nos “alimentos proibidos” e a experimentar alterações grandes de humor.

Segundo passo: procurar um psicólogo.

Para que uma dieta seja bem sucedida é preciso trabalhar a mente. Os pensamentos têm muito poder, sobre o estado psicológico e, consequentemente, sobre o estado físico.

A forma como pensamos sobre a dieta, a avaliação que fazemos de nós próprios e do nosso comportamento alimentar, a forma como pensamos sobre o exercício físico são fatores bastante importantes para que a dieta seja um sucesso.

Mafalda Leitão

Psicóloga na Clínica Em Forma. Com trabalho clínico e publicado na área da psicologia positiva, emagrecimento através da mente, depressão e ansiedade. Trabalho científico publicado na área da obesidade e perda de peso bem sucedida e menopausa.

Também poderá gostar de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *