Dia Mundial da Luta contra o Cancro: 4 de Fevereiro

silhueta

O cancro… Essa doença tão comum, que ataca tantas pessoas e destrói tantas vidas! Porque é que ele tem esse poder tão destrutivo? Quem é que o pode combater? Quando é que descobrem a cura, de forma definitiva, para isto? O cancro não pode ser mais forte do que as pessoas; quem é que ele pensa que é? Para chegar, sem nenhuma razão aparente; para instalar-se sem causar dor nem sofrimento e, depois, quando vemos, já pode não haver nada a fazer.

Quando se recebe uma notícia de cancro, a pessoa faz dois tipos de avaliação: uma avaliação primária (qual o significado que este acontecimento pode ter no seu bem-estar) e uma avaliação secundária (quais os recursos disponíveis para fazer frente a esta notícia). Vai passar, indiscutivelmente, por uma fase de crise (é normal, todos passam por isso) e, posteriormente, irá arranjar várias formas e estratégias de lidar com a doença. Isso terá tudo a ver com a forma como recebe a notícia; com a sua personalidade; com todas as experiências de vida que já teve e, claro está, com as suas emoções e a sua forma de lidar com as mesmas.

As emoções… Que vão estar tão delicadas, nesse momento; vão ter de ser geridas, da melhor forma possível. No entanto, primeiro que tudo é essencial que seja capaz de lidar com os aspectos físicos da doença (tenha conhecimento sobre ela e pergunte tudo aos médicos, não tenha vergonha nem medo – vai ter de se tornar um expert nesta matéria). Depois, tem de responder a todas estas mudanças que lhe vão acontecer. E, essa resposta tem de ser, sem sombra de dúvidas, positiva e esperançosa.Vários estudos referem que os doentes que desenvolvem estratégias positivas para lidar com esta nova doença, sentem mais controlo sobre o processo de doença e apresentam uma melhor qualidade de vida. Claro que cada caso é um caso e cada pessoa tem a sua forma de lidar com esta doença (consoante várias características, como referido anteriormente); contudo, os sentimentos negativos e a perca da fé e da vontade de viver não ajudam, de nenhuma forma, na cura e no seu bem estar.

A luta contra o cancro é uma realidade! A luta contra o cancro causa dor, sofrimento e indisposição. A luta contra o cancro é difícil, dolorosa e muito emocional. No entanto, a luta contra o cancro é possível! Acredite, tenha força e fé; pense positivo e procure ajuda. Nesta nova fase, terá de fazer tudo para se sentir melhor consigo próprio e para combater mais esta adversidade da vida. Procure a ajuda de um psicólogo, para lidar com estas novas emoções e para saber geri-las, da melhor forma. Ele poderá ser um grande apoio para si, nesta nova etapa. E, indiscutivelmente, deve procurar a ajuda de um nutricionista. O cancro e a nutrição andam, cada vez mais, de mãos dadas e, consequentemente, comer bem poderá ser o seu melhor remédio.

Todas as histórias acabam com finais felizes… A sua não será diferente!

Mafalda Leitão

Psicóloga na Clínica Em Forma. Com trabalho clínico e publicado na área da psicologia positiva, emagrecimento através da mente, depressão e ansiedade. Trabalho científico publicado na área da obesidade e perda de peso bem sucedida e menopausa.

Também poderá gostar de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *