Alimentação saudável a um preço mais “saudável”

Sem Título

Hoje em dia todos devemos ter uma alimentação saudável. Os motivos são vários e já do conhecimento de todos nós: o combate contra a obesidade; uma melhor saúde; maior auto estima; prevenção do cancro, etc., etc. Eu sei que já está farto de ouvir e ler sobre este assunto. Mas, hoje, vimos dar-lhe algumas dicas para que possa, efetivamente, ter uma alimentação saudável mas sem gastar muito dinheiro. Sim, é verdade, há alguns truques para que consiga poupar, mesmo tendo de comprar estes alimentos, frequentemente, mais caros.

É sabido, segundo muitos estudos, que o rendimento anual do agregado familiar está associado à obesidade, pois influencia, entre outros aspetos, a possibilidade de acesso a alimentos saudáveis (mais caros) e a oportunidade da prática de atividade física. Em Portugal, quase três em cada dez pessoas (nos últimos quatro anos) relataram que, devido a dificuldades económicas, deixaram de consumir alimentos essenciais (estudo “Portugal: Alimentação Saudável em Números 2013″, DGS). No entanto, vários autores concluem que todos os salários, sejam eles mais altos ou não, permitem sustentar uma família, pelo menos ao nível da alimentação; mesmo que, por vezes, os alimentos mais baratos sejam os que contêm elevados teores de açúcares e gorduras (por exemplo, o fast-food). Portanto, siga algumas destas dicas, para que consiga ter uma alimentação mais saudável, a um preço, também ele, mais “saudável”…

1) Pequeno almoço saudável e barato

Para começar bem o dia, nada melhor que um pequeno almoço reforçado (muitos nutricionistas dizem que é a refeição mais importante do dia). Para isso, há opções saudáveis e baratas: por exemplo, é mais barato um iogurte com aveia (a aveia é barata e tem propriedades muito boas) do que um refrigerante e um bolo.

2) Faça lanches saudáveis

Vai passar o dia todo no trabalho e, entre o pequeno almoço e o almoço tem sempre fome. Ou, por exemplo, à hora do lanche; e, nessas alturas, vai ao café comprar uma sandes ou um bolo. Sai-lhe muito mais caro e não é a opção mais saudável. Opte por levar lanches feitos em casa, para o trabalho. Compre essas opções (por exemplo, fruta, iogurtes ou frutos secos) e leve-os para o trabalho, para quando tiver fome. Assim, não gastará dinheiro no café e terá uma opção mais saudável. Faça isso também com os seus filhos e dê-lhes lanches saudáveis para levarem para a escola.

3) Leve o almoço para o trabalho

Para além dos lanches, também é uma boa opção levar o seu almoço para o trabalho. Já está a pensar que não vai ter tempo para fazer o almoço para levar, mas garanto-lhe que tem. Arranja-se sempre tempo para aquilo que é realmente necessário e importante. Nem que leve o resto que sobrou do seu jantar. Pelo menos, sabe aquilo que está a comer que, certamente é mais saudável, do que aquilo que os restaurantes podem oferecer. E não se esqueça: um almoço feito em casa sai mais barato do que ir ao restaurante.

4) Use e abuse nas frutas

Aposte na compra destes alimentos. Escolha frutas da época (são sempre mais baratos do que os fora de época – por exemplo, nesta altura do ano, compre laranjas ou tangerinas, em vez de papaias ou morangos). E opte por substituir uma sobremesa calórica por uma peça de fruta. Mais vale gastar 0,35 cêntimos numa banana para sobremesa do que 5 euros em leite condensado, açúcar, chocolate em pó, ovos, manteiga e farinha para fazer um bolo, não acha?

5) Use e abuse nas sopas e legumes

Os legumes são uma parte muito importante da sua alimentação. Têm uma série de propriedades boas ao nosso organismo e deve usar e abusar dos mesmos. Mais vale comprar legumes para fazer sopa, por exemplo, que podem custar à volta de 2 ou 3 euros (e que dá para mais do que uma refeição) do que comprar pizzas congeladas para toda a família (que custa cerca de 5 euros cada pizza). Se preferir, tem também a opção dos legumes prontos congelados ou ultra congelados.

6) Aproveite as promoções

Semanalmente, todas as cadeias de supermercados fazem promoções e, inclusive, pode consultá-las na internet (nos sites dos supermercados). Por isso, aproveite todas essas promoções (por vezes, são mesmo a metade do preço) e compre os alimentos e as opções mais saudáveis (em maior quantidade), para aproveitar.

7) Água é o melhor acompanhamento

Deixe os sumos, os refrigerantes com gás e açúcar e opte pela opção mais saudável e, sem sombra de dúvidas a mais barata: a água. Beba muita água durante o dia para, dessa forma, se manter hidratado. Leve sempre uma garrafa de água para o trabalho; assim não terá de comprar nenhuma.

Use e abuse deste líquido ou então, se preferir, faça chás e tisanas. O chá verde, branco, ou outros, são uma opção saudável e também acessível a todos (mais acessível que os refrigerantes).

8) Faça uma lista para ir às compras

Cada vez que tiver de ir às compras, faça uma lista. Isso fará com que não compre mais coisas do que as que são necessárias. Além disso, vá sempre às compras de estômago cheio, pois isso fará com que não tenha desejos de última hora.

9) Plante, em casa

Se tiver espaço opte por plantar algumas semente de ervas aromáticas, por exemplo. As sementes são baratas e, se bem tratadas (luz e água necessários) poderão dar o produto que pretende; por exemplo, manjericão, salsa, coentros, alfaces, entre outros. Pode ser uma forma de poupar e, simultaneamente, ter uma opção mais saudável para comer ou para temperar (com as ervas aromáticas).

10) Evite os desperdícios

Se sobrar comida, não deite fora. Há sempre outras opções, como por exemplo, aproveitar para o seu almoço ou, então, fazer outro prato com os restos. Por vezes, os miúdos nem dão conta disso, acredite. Imagine que sobrou um bocado de bróculos cozidos e cenoura. Pode fazer um refogado e juntar com carne de frango (uma carne muito económica e saudável) e servir para o jantar. Ninguém vai dar conta e vão adorar!

Também poderá gostar de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *