3 dicas para emagrecer com a mente!

Dizemos constantemente que emagrecer é muito mais que comer bem e fazer exercício físico. Emagrecer envolve uma mudança de pensamentos e uma mudança de hábitos e rotinas. Se não programamos a nossa mente para essas mudanças, então o resultado será a desistência de mais uma dieta.

A psicóloga Mafalda Leitão deixou três conselhos muito úteis para a mudança da mente e para que o processo de emagrecimento seja feito com menos sacrifício e dificuldade.

 

  1. Visualize! Criamos constantemente sinapses e caminhos neurais para aquilo que desejamos. Através da visualização, antecipamos acontecimentos e, simultaneamente, trabalhamos a prevenção e a recaída. Por exemplo: daqui a uns dias tem um jantar com amigos. Imagina logo tudo aquilo que irá acontecer: quem irá estar no jantar, aquilo que poderá comer, as quantidades, as diferentes opções; quem irá ser a amiga que a vai pressionar a comer determinados alimentos, etc., etc. Portanto, toda a situação é visualizada de ante mão. E sabe o que é melhor? É que poderá organizar e planear mentalmente o comportamento que poderá adotar – por exemplo, em vez de comer um hambúrguer com batatas fritas (porque sabe que de seguida irá sentir-se frustrada), comer uma salada, que também poderá ser deliciosa.
  2. Crie metas realistas! Se precisa de perder 20kg não pode colocar como objetivo primordial os 20kg. Para além de demorar a conseguir perdê-los em pouco tempo, sentir-se-á frustrada por nunca mais alcançar o seu objetivo. Defina metas realistas – por exemplo 2 kg numa semana. Isso é possível de ser alcançado e, além disso, irá sentir-se bem quando conseguir alcançar este objetivo em pouco tempo – sentirá que vale a pena, que conseguiu e que terá força e determinação para chegar ao fim do caminho do emagrecimento.
  3. Invista em hábitos positivos! Os hábitos são padrões de comportamentos repetitivos a que nos habituamos. Por exemplo, todos os dias lavamos os dentes – isso é um hábito. Já o fazemos inconscientemente e não temos de pensar em todo o processo, ele já é automático. Com a comida isso também é verdade. Muitas vezes come certos alimentos a certas horas somente porque é um hábito. E as suas dietas custam-lhe mais porque ainda não se desapegou destes velhos hábitos e ainda não criou novos hábitos. Como deve ser isto feito? Deve diminuir a frequência dos maus hábitos (que ao fim de um tempo deixam de ser um hábito) e aumentar a frequência dos hábitos positivos, que depois passam a ser uma necessidade.

Boa sorte! É mais fácil do que imagina…

Também poderá gostar de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *